higroma

Higroma de Cotovelo

O Higroma de cotovelo é uma patologia relativamente comum em animais de grande porte e/ou com sobrepeso, estando também associado aos traumatismos de cotovelo (articulação úmero-rádio-ulnar). Se caracteriza por um derrame inflamatório extra-capsular da membrana sinovial da articulação do cotovelo. O Higroma é também conhecido como Bursite (inflamação da capsula articular) ou tendosinovite.

Algumas raças como Mastif, Rottweiler, Dogue Alemão, Fila Brasileiro, Cane Corso, São Bernardo, Doberman, dentre outros são mais susceptíveis. O excesso de peso aumenta, naturalmente, a possibilidade de criar higromas, mas mesmo cães muito magros podem apresentá-los pois seus ossos estão ainda mais próximos da pele. O mais comum é que se desenvolvam em cães idosos, que são mais inativos e ficam deitados por um tempo maior e que tenham pelo curto.

Sem título

Como ocorre a formação de um Higroma?

A região do cotovelo é composta pela articulação dos ossos úmero, rádio e ulna. Uma cápsula articular envolve estes ossos e dentro dela tem o líquido sinovial, um liquido bem viscoso, fazendo com que um osso deslize sobre o outro e não provoque atrito.
Animais gigantes colocam muito peso sobre a região do cotovelo e podem acabar causando uma inflamação sobre o tendão ou a capsula articular . Isto acontece geralmente em animais que deitam muito sobre o cotovelo e em chão muito duro, traumatizando a área. Ele pode ocorrer também por impacto repetitivo, como o animal esbarrar sempre num móvel, quina, etc…
O processo inflamatório instalado na articulação começa a induzir um aumento da produção de liquido sinovial dentro da cápsula articular. A região começa a aumentar de volume.

Quais os sintomas?

Os cães com higromas não costumam mancar, a maioria são animais saudáveis, grandes e pesados. Se você notar um inchaço na articulação do seu animal, (mesmo que ele não esteja mancando), você deve procurar de imediato uma clinica veterinária para se certificar do diagnóstico. Quanto mais tarde se iniciar o tratamento, mais difícil será o processo.

O que fazer?

Sendo constatado ser um Higroma as recomendações iniciais para casos amenos é a cima de tudo a prevenção:

  • É fundamental a preparação de um cantinho macio onde o cão mais gosta de ficar. Colchonetes e camas suspensas, são bastante recomendadas.
  • Uma proteção deve ser colocada na articulação, principalmente se o animal fica lambendo para evitar que vire uma ferida. Você pode improvisar em casa, principalmente nos casos mais leves.

Modelo com meia calça:

DIY

 

Existem no mercado uma grande variedade de produtos específicos:

petmed com  Pet Med Polaina Protetora

  • Compressas de gelo também são aconselháveis logo no início do processo auxiliando na diminuição do inchaço.

Por que a prevenção é fundamental?

O Higroma pode evoluir para um quadro crônico com formação de feridas de difícil cicatrização, pois pode ocorrer através dessas feridas a contaminação do líquido do articular por bactérias causando uma infecção articular. Quando o processo se torna crônico pode ser necessária a infiltração de medicamentos no local.

Procedimento cirúrgico é recomendado para Hidromas?Normalmente não está indicada sua remoção cirúrgica, aspiração de líquidos ou drenagem, por 2 razões:

  1. A primeira é que o higroma é uma proteção do corpo e o cão provavelmente voltará a desenvolvê-lo.
  2. A segunda é que o risco de contaminação e infecção ao perfurar (e depois até cicatrizar) são grandes. Claro que, caso cresçam de forma descontrolada e/ou se apresentem inflamados e/ou contaminados, é adequada sua redução cirúrgica.

Qual o tratamento?

O “tratamento” para higromas não-infectados é a eliminação do trauma repetitivo, quando possível. Diminuir um pouco o peso do animal, fazer uso de protetores nos seus cotovelos e colchonetes na área onde fica na maior parte do tempo e o local onde dorme, ajudam a diminuir o problema.
Na vasta maioria dos casos, o trauma e a inflamação são tão modestos que o calo é apenas um protetor natural, ainda que não sejam nada agradável esteticamente. Entretanto, vale lembrar, o higroma não deverá ser removido apenas por razões estéticas. Todos os cães adultos, especialmente os grandes, tem esta proteção desenvolvida em seus cotovelos, em graus variáveis.
De qualquer forma, o tratamento é a drenagem, ligaduras, e antibióticos.  Deve-se evitar a remoção cirúrgica (exceto em casos extremos), porque o cotovelo é uma região de difícil cicatrização e já está comprovado que a remoção cirúrgica trás pouco benefício.

Na maioria dos casos, um higroma é uma ocorrência única na vida de um animal, mas em outros poderão se repetir.
Fonte: DENISE DECHEN (http://dicaspeludas.blogspot.com.br/)  
Published on: 15 março
Posted by: