diabetes

Diabetes: cachorro pode ter?

Mais uma vez aqui estamos para mostrar que temos muito mais em comum com os cachorros do que apenas o amor que damos e recebemos diariamente. Nossos amigos peludos estão sujeitos a muitas doenças comuns em seres humanos como já falamos aqui e dessa vez vamos falar de algo que é bem comum: diabetes.
A saúde e o bem estar dos nossos amimais dependem muito do jeito que cuidamos, do que oferecemos para eles comerem e da atenção que dispensamos. Vale lembrar que tudo isso é fundamental para uma vida saudável e feliz dos peludos. E não é diferente na prevenção de doenças como o diabetes. Essa doença é muito mais comum do que você pode imaginar e uma grande interrogação que vem logo após o diagnóstico é a mudança de rotina para melhorar a qualidade de vida do nosso pet. Calma! Você terá mais dedicação e disciplina sim! Mas por uma boa causa: estabilidade da doença e qualidade de vida para seu pet. Por isso vamos esclarecer, de forma rápida e simples, como você pode identificar um possível diabetes. – Como saber se meu cachorro pode estar com diabetes? O comportamento do cachorro pode mudar e ele te dá alguns sinais de que está com problemas, como: ter muita fome e comer bem, mas está perdendo peso. Beber muita água e fazer muito xixi. Em estágios mais avançados da doença, é possível encontrar formigas perto da urina. Lembre-se: para o diagnóstico exato é preciso levar o seu cachorro ao médico veterinário, que pedirá um hemograma completo, exames bioquímicos e exame de urina. Poderão ser também realizados exames adicionais mais específicos. – Como eu posso evitar o diabetes no meu cachorro? O melhor jeito de evitar é manter uma rotina física e alimentação saudável. Mas como? Simples, uma dieta correta, de acordo com a raça e peso. Além disso é preciso lembrar de passear sempre e brincar com seu bichinho, as visitas ao médico veterinário também está incluído nessa lista de vida saudável. O exame clínico e laboratorial preventivo é fundamental. – Descobri que meu cachorro tem diabetes, e agora? Mais do que nunca é preciso disciplina e dedicação aos seus peludos. É preciso controlar a dieta, uma vez que os cães que se encontram nessa condição devem manter uma dieta rica em carboidratos complexos e com quantidade adequada de fibras. A alteração na comida é feita para melhorar o controle da glicose sanguínea. A dieta pode ser feita com alimentos naturais ou com rações. Isso poderá ser debatido com o médico veterinário perante a situação do cachorro. O que não deve ser deixado de lado são os exercícios. IMPORTANTÍSSIMO! Não aplique qualquer medicamento ou insulina no seu animal antes de levá-lo ao médico veterinário, é ele quem deverá indicar se é preciso ou não de remédios e a dose a ser ministrada. É muito importante acompanhar de perto a saúde de seu pet. Leve-o ao médico veterinário frequentemente e esteja sempre alerta em caso de comportamento diferente.   fonte: Laboratório Santé
Published on: 18 setembro
Posted by: