piometra

Entenda o que é a Piometra

PIOMETRA é um processo inflamatório comum no trato genital das fêmeas (caninas e felinas), caracteriza-se pelo acúmulo de secreção purulenta no lúmem uterino, que provém de uma hiperplasia endometrial cística associada a uma infecção bacteriana. Pode apresentar-se de duas formas: com a cérvix aberta – piometra aberta, ou com a cérvix fechada – piometra fechada.

Deve-se desconfiar de piometra em qualquer cadela ou gata não castrada, independente da idade, que apresente sinais característicos da patologia durante ou imediatamente após o estro (cio).
Entretanto, não se pode desconsiderar fêmeas castradas, pois estas podem apresentar piometra de coto. Tal patologia é rara e acontece devido a uma infecção bacteriana da porção remanescente do corpo do útero após OSH / retirada do útero.

A ocorrência da piometra dá-se durante a fase luteal do ciclo estral – diestro, quando a produção de progesterona pelo ovário, mais precisamente pelo corpo lúteo é alta, estimulando o crescimento e a atividade secretora das glândulas endometriais, resultando em acúmulo de líquidos no útero, que também atua diminuindo a atividade miometrial.

A infecção bacteriana é uma condição secundária, em que as bactérias da vagina são as mais prováveis fontes de infecção uterina, que ascendem pela cérvix e para dentro do útero durante o estro. A Escherichia coli é a bactéria mais frequentemente isolada em pacientes com piometra. Apesar da infecção bacteriana não iniciar a patogenia, ela é a principal causa da morbidade e mortalidade associada à piometra.
Piometra aberta apresenta secreção vaginal que pode ser abundante do tipo sanguinolenta à mucopurulenta. Na piometra fechada, observa-se distensão e sensibilidade dolorosa abdominal. Outros sinais encontrados na piometra incluem letargia, depressão, anorexia, hiporexia, poliúria, polidipsia, vômitos e desidratação.

O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico, de acordo com o estado geral do paciente e futura finalidade reprodutiva. A cirurgia é considerada como tratamento de escolha pelo seu potencial curativo. Deve ser feito fluidoterapia e antibioticoterapia.

Atenção, qualquer anormalidade com seu animal, levo-o imediatamente ao médico veterinário!


FONTE: Tilley, L.P. Consulta vet em 5 minutos. || Jericó,M.M. tratado de medicina interna de cães e gatos

Published on: 12 outubro
Posted by: